Vitrine VM | Branding
Utilizando a Street Art sem exageros na construção do branding.
Street Art, VM, Visual Merchandising, Design de Varejo, Store Design, Interiores Comercial, Hamburgueria
21064
single,single-post,postid-21064,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,boxed,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive
Bó Burguer - Street Art

Bó Burguer – O uso da Street Art sem exageros

A princípio minha publicação sobre esse projeto ia ficar ligado somente a maestria com que o Hopa Studio trabalha em sua comunicação visual, trazendo elementos visuais da cultura “Street Art” de forma elegante, sofisticada e tão de acordo com a marca que nos faz ter orgulho de existirem criativos com essa competência pelo mundo. Mas já faz tempo que quero falar sobre o tema “Street Art” e não tinha tido um insight tão bom para isso, como tive com esse projeto. E tudo que eu escrever por aqui estará baseado no meu entendimento sobre branding e experiência de consumo.

A Cultura “street art”, que vou generalizar em três principais símbolos – tattoo, grafite/pixo, hip hop/funk – está tão em alta nesses últimos 3 anos, que vêm invadindo de forma avassaladora marcas de todo o mundo. Desde restaurantes/pubs renomados em NY, passando por marcas internacionais como a GUCCI, até chegar nas intervenções feitas em produtos na hora da compra por artistas do grafite. Eu particularmente acho maravilhoso todo esse envolvimento com a cultura street, e acredito que moda está aí para ser seguida. Mas devo admitir que muitas vezes ele não tem a ver com a identidade/alma da marca, e acaba se tornando só mais um recurso para estar na moda e parecer um pouco mais descolado. O cuidado de quem assessora uma marca está em check o tempo todo, o profissional deve ter como base o respeito aos valores e ao público da marca. Não atoa vemos em todos os eventos de varejo pelo mundo, profissionais renomados falando sobre a importância da coerência na hora de contar histórias e criar ações promocionais baseadas em princípio reais da marca, para envolver de forma correta o público. Acredito piamente que discurso vazio não vende! E deixo aqui minha visão sobre o assunto, enaltecendo esse belo trabalho do Hopa Studio.

Projeto que tem como base em sua essência a utilização da cultura Steert Art sem deixar de lado seu local de origem, no caso a Polônia, e o seu público, o hipster/underground. A utilização de elementos como o ladrilho de estação de metrô, o cartaz lambe-lambe, a pixação em cima do cartaz, a pinta escorrendo na parede atrás do menu, a intervenção no balcão, a utilização de neon na fachada… todos esses elementos mostram com precisão que o estudo de referência foi feito e aplicado de forma pensada e sem exagero, pois seu público é menos colorido que as verdades dos sprays das ruas. Projeto ao meu ver muito bem embasado, descolado, elegante e rústico na medida certa para a construção da alma da marca. Juntando o que a “Street Art” têm de melhor – sua essência disruptiva – com o que o público definido procura.

Equilíbrio é a palavra de ordem na criação de um branding coerente!

– por Rafaela Lourenço

Vitrine VM

A Vitrine VM é um escritório criativo especializado em comunicação visual no ponto de venda. Ajudamos empresários do ramo do varejo a terem um aumento significativo em suas vendas, utilizando os princípios do MERCHANDISING DE EXPERIÊNCIA.